Será que ser um bom parceiro é sinal de que se poderá ser um bom pai? Segundo um estudo recente, parece que sim.

Um parceiro que seja caracterizado como sensível, cooperante, solidário e atento às necessidades do outro, provavelmente será um bom pai ou mãe, uma vez que as capacidades que fazem de nós parceiros de sucesso são também as que nos tornam bons pais.

A pesquisadora Abigail Millings, da Universidade de Bristol, focou-se no conceito de vinculação, conceito este que descreve o modo de estar em relação com o outro. Através deste conceito, Millings quis tentar perceber se o tipo de vinculação influencia o estilo parental adoptado. São vários os tipos de vinculação existentes, sendo o ideal a vinculação segura.

Esta caracteriza-se por baixos níveis de ansiedade e evitamento e por um grau de segurança suficiente que permite que se sinta livre e independente na sua relação, tendo a certeza de que o outro estará ao seu lado, sempre que necessário.

Também em relação aos estilos parentais, são identificados três: autoritário, o qual é marcado pela disciplina e rigor; permissivo, no qual existem poucos limites, baixa autoridade e ausência de regras; e, por fim, o democrático, considerado como o estilo ideal, que implica a definição de regras e limites, discutida num ambiente acolhedor, no qual prevalece o amor.

Para compreender de que modo o tipo de vinculação poderá influenciar o estilo parental, a investigadora e os seus colegas pediram a 125 casais ingleses, com filhos entre os 7 e os 8 anos, que preenchessem um inquérito sobre a sua ligação amorosa, a sua prestação de cuidados amorosos e os seus estilos parentais.

Através destas respostas, o estudo conclui que quanto menos os pais tiverem uma vinculação segura, sendo mais evitantes ou ansiosos nas suas relações amorosas, menor a probabilidade de desenvolverem um estilo parental democrático.

Assim, compreender o outro e colocar-se no seu papel, estar atento às suas necessidades, sentir-se seguro na relação e confiar no outro, são sinais de que, aquando a parentalidade, poderá adoptar-se um estilo parental mais adequado.

Andreia Cavaca

Andreia Cavaca

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta
ver perfil
"São vários os tipos de vinculação existentes, sendo o ideal a vinculação segura."