Cada vez mais a psicoterapia tem sido retratada nas séries televisivas e nas películas cinematográficas. No pequeno ecrã, a psicoterapia, é geralmente representada por um momento em que o psicoterapeuta escuta, intervindo muito pouco, enquanto o paciente revela as suas emoções, conflitos e questões.

Será realmente assim a psicoterapia?
Felizmente não! A psicoterapia proporciona aos pacientes a possibilidade de mudança e de melhoria da qualidade de vida. Quando praticada por psicoterapeutas devidamente treinados e certificados, é extremamente eficaz e potenciadora de mudança.
Como funciona então a psicoterapia na vida real?
Ao depararmo-nos com os pequenos excertos retratados na ficção podem surgir várias questões:

  • A psicoterapia consiste em falar vezes sem conta sobre os meus sentimentos enquanto o psicoterapeuta escuta?

A psicoterapia é realmente mais activa e focada na resolução de conflitos. O psicoterapeuta levanta questões que levam a um diálogo recíproco, tendo como objectivo a reflexão e a possibilidade de que situações conflituosas possam ser encaradas sobre diferentes perspectivas. Por vezes, encaramos os nossos problemas como se fossem becos sem saída, torna-se importante a possibilidade de encará-los através de diferentes pontos de vista, afinal duas cabeças pensam melhor do que uma.

  • A psicoterapia é infindável? Continua para sempre?

Claro que não. Um bom psicoterapeuta é como um boa figura parental, tem como objectivo a melhoria e a promoção da capacidade de autonomia no paciente. Este procura fomentar o ganho de competências para que o paciente consiga sentir-se capaz de tomar decisões e lidar com os diferentes obstáculos que surgem ao longo da sua vida, possibilitando também o estabelecimento de uma relação saudável consigo e com os outros que o rodeiam.

  • A psicoterapia é só para pessoas com sérios problemas mentais?

Nem por isso. Muitas pessoas procuram a psicoterapia como um processo de desenvolvimento pessoal. Para além disso, estudos comprovam que o trabalho psicoterapêutico contribui para a diminuição da dor, da pressão arterial e para a melhoria do sistema imunitário em pessoas com doença crónica. A psicoterapia não só promove melhorias físicas, como também aumenta a capacidade do paciente em lidar com os eventos stressantes que acorrem ao longo da vida, como divórcio, perda de um trabalho ou de alguém muito próximo, entre outros.

  • A psicoterapia é só para pessoas que a podem pagar?

Não. Muitos seguros de saúde posuem acordos com consultórios de psicologia, proporcionando sessões a preços mais reduzidos. Mesmo que o paciente não tenha seguro de saúde no momento, pode procurar ter acesso a serviços comunitários ou pertencentes ao sistema nacional de saúde, como centros de saúde ou hospitais públicos.

  • A psicoterapia deve “funcionar” de imediato?

No pequeno ecrã, na ficção, o paciente frequentemente experiencia um momento revelador no final do programa e de repente sente-se melhor. Na vida real, geralmente as sessões de psicoterapia são menos dramáticas.  As mudanças vão sendo consolidadas sessão a sessão, consistem em momentos de progressos e retrocessos, não se trata de um percurso linear. Através do sentimento de esperança transmitido pelo psicoterapeuta, o trabalho progride, havendo uma diminuição do sentimento de mal-estar e um progressivo ganho de consciência, acerca de si próprio, assim como de competências para lidar com os conflitos que estão a ser vividos.

 

E assim se processa a psicoterapia na vida real, não como um Big Bang, mas sendo experienciada como um conjunto de momentos de reflexão, acerca de si próprio e da forma como é vivido o dia-a-dia, que progressivamente, tornam o paciente mais autónomo e mais capaz de tomar decisões saudáveis, potenciando a qualidade de vida, física, emocional e profissional.

 

Este pequeno texto é baseado na entrevista da psicóloga Dra. Nancy Molitor, ao blog Your Mind is Your Body pertencente à American Psychological Association. Pode consultar aqui o texto original.

Carolina Justino

Carolina Justino

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta
ver perfil
"Na vida real, geralmente as sessões de psicoterapia são menos dramáticas. As mudanças vão sendo consolidadas sessão a sessão, consistem em momentos de progressos e retrocessos, não se trata de um percurso linear."