A maior parte dos professores tentam, a todo o custo, motivar os seus alunos para alcançarem boas notas. Apesar de existir este esforço por parte dos professores, por vezes a mensagem pode chegar deturpada aos estudantes.

Um estudo recentemente publicado na APA’s School Psychology Quarterly, que envolveu cerca de 350 estudantes do ensino secundário, teve como objectivo compreender o tipo de comunicação feita pelo professor e a respectiva recepção da mesma pelo estudante.

Através dos resultados desta investigação, concluiu-se que os estudantes sentiam  desmotivação e obtinham menor sucesso nas provas quando recebiam “incentivos” dos professores que se focavam no fracasso.

Ou seja, quando um professor diz: “se tu falhas no exame, não vais conseguir obter um bom emprego ou não vais para a faculdade, por isso precisas de estudar muito”, o estudante pode interpretar tal mensagem no sentido do medo e da falha. A motivação torna-se diferente quando a mensagem do professor se foca no sucesso.

Por exemplo, se o professor diz: “este exame é realmente importante para que possas ter um emprego bom e para conseguires entrar na faculdade que pretendes”, o aluno pode sentir maior motivação.

Embora ambas as mensagens procurem expressar a importância do estudo e do empenho, o que as torna diferentes é o foco na possibilidade ou não de sucesso. É importante que o professor reconheça o tipo de mensagens que passa e que, embora tenha a melhor intenção, compreender que o aluno pode interpretar de forma negativa o que lhe é dito.

 

Sou professor: como posso melhorar a minha comunicação?

Para que o esforço de motivar os alunos seja, de facto, sentido como algo positivo para o estudante e possa cumprir o seu objectivo final de promover um maior empenho no estudo, o professor pode optar por:

– comunicar com o aluno sempre pela positiva;

– evitar o uso de expressões como “não vais conseguir” ou “não és capaz”;

– reconhecer as qualidades do aluno e reforçá-las;

– elogiar o trabalho e o esforço do aluno;

– reconhecer junto do estudante que, embora possam existir dificuldades, ė sempre possível trabalhar para as ultrapassar;

– acreditar no aluno e nas suas competências;

– estabelecer um diálogo interno também positivo.

 

Acima de tudo, é fundamental que o professor reconheça a importância do seu papel na motivação do aluno, compreendendo que a sua influência é uma peça chave na formação do estudante.

Andreia Cavaca

Andreia Cavaca

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta
ver perfil
Os estudantes sentiam desmotivação e obtinham menor sucesso nas provas quando recebiam "incentivos" dos professores que se focavam no fracasso.