Muito a propósito da nossa publicação sobre a relação entre o rir e longevidade publicada ontem, são publicados hoje os resultados de uma investigação acerca do sorriso em Portugal.

Segundo Freitas Magalhães, director do  Laboratório de Expressão Facial da Emoção, os portugueses cada vez mais inibem o sorriso devido ao contexto de crise, expressando maioritariamente expressões negativas.

O investigador baseia-se na análise de fotografias publicadas nos jornais diários portugueses desde 2003. Este projecto faz parte de uma iniciativa mundial que termina em 2013.

Os resultados da investigação intitulada “Uma década de sorrisos em Portugal” revela que as mulheres continuam a sorrir mais que os homens e que os homens apresentam um sorriso mais fechado a partir dos 60 anos.

Por outro lado, as crianças são as que apresentam um sorriso mais largo, não sendo por acaso que atribuímos à infância a ideia de uma fase da vida com menos preocupações.

Segundo Freitas Magalhães, a situação económico-social em que vive o país, contribuiu fortemente para o decréscimo dos sorrisos em Portugal. Alertando também para os efeitos que este indicador pode ter na saúde e na qualidade da interacção social dos portugueses.

Estará a felicidade a desaparecer a olhos vistos da vida dos portugueses?

Fonte: P3 Público

Carolina Justino

Carolina Justino

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta
ver perfil