Temple Grandin, diagnosticada com autismo aos 4 anos, fala-nos acerca da forma como a sua mente funciona.

Fala, nomeadamente, da sua capacidade de pensar através de imagens e como isso lhe permitiu resolver problemas que podem passar despercebidos aos olhos das pessoas com um funcionamento cerebral dito “normal”.

Defende a ideia de que o mundo precisa de todo o tipo de mentes, incluindo as mentes pertencentes ao espectro do autismo: pensadores visuais, pensadores por padrões, pensadores verbais.

Suporta a sua ideia no facto de que, ao longo dos tempos, a mudança foi muitas vezes introduzida pela diferença, pelos incompreendidos à luz da sociedade onde se encontravam inseridos, como Einstein entre outros.

Como Grandin diz, de forma humorística e provocatória, se não houvesse o autismo estaríamos ainda a viver nas cavernas e Silicon Valley não existiria.

Sugerimos então a visualização da palestra de Grandin no link abaixo referido:

Carolina Justino

Carolina Justino

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta
ver perfil